O sustento vem SEMPRE de Deus, não das mãos do homem!

outubro 30, 2017


O mundo tem gritado com um grande mega-fone coisas como “Trabalhe, ou passará fome”. Deixo claro aqui que não sou contra trabalhar, mas sou totalmente contra afirmar que o sustento vem através do nosso esforço e do nosso dinheiro. Portanto, gostaria de trazer aqui uma reflexão através de uma pergunta hipotética: Se você não estudar, trabalhar e correr atrás, passarás fome ou necessidade?

Entenda o ponto central do que estou dizendo: devemos planejar, estudar, trabalhar e almejar crescimento pessoal e profissional, mas não devemos nunca, jamais, em nenhum momento, colocar a razão do nosso sustento em qualquer coisa ou pessoa que não seja o próprio Deus. Conheço pessoas (e creio que você também conheça) que trabalha 20 horas por dia e ainda assim passa necessidade. Fora essas pessoas, existem aqueles que ganham mil ou milhões de reais (ou dólares) e, do mesmo modo, passam necessidades cruéis. Isso mostra, portanto, que não somos sustentados porque estudamos ou trabalhamos, mas trabalhamos e estudamos porque Deus nos sustentou, nos deu condições suficientes para que estejamos ali, trabalhando, estudando ou fazendo qualquer outra coisa.

APRENDENDO A ORAR COM O MESTRE

Na oração do Pai nosso, Jesus ensina-nos a depender completamente do Senhor em tudo.

Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; e não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.” (Mateus 6.9-13 ACF)

Essa oração deve fazer parte do nosso viver diário. Em específico, vemos que no verso 11 Jesus diz: “O pão nosso de cada dia nos dá hoje;”. Isso significa que:

O pão “de cada dia” já nos foi dado. Do contrário, estaríamos mortos;
Assim como Deus tem nos dado o pão de cada dia, pedimos para que Ele “nos dê hoje”;

Ora, se somos temos dinheiro para comprar nosso almoço ou nossa janta, e conquistamos esse dinheiro com nosso trabalho, como é Deus quem nos dá “o pão de cada dia”? Simples: se almoçamos hoje, assim o fazemos porque Deus nos deu o alimento. Nunca somos nós, sempre é Ele.
A oração de Jesus mostra que a provisão sempre virá do Pai nosso que está nos céus, e nunca do nosso próprio esforço.

SE NÃO FOSSE O SENHOR ME SUSTENTANDO…

O Senhor nos sustenta de formas que, por muitas vezes, ignoramos. O profeta Jeremias declara:

“As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim;” (Lamentações 3.22 ACF).

Se acordamos, é porque Deus teve misericórdia de nós.
Se tomamos banho pela manhã, é porque o Senhor teve misericórdia de nós.
Se saímos de casa e chegamos ao nosso trabalho, é porque o Senhor teve misericórdia de nós.
Se almoçamos, é porque o Senhor teve misericórdia de nós.

Se por um milésimo Deus não tiver misericórdia de nós, seremos consumidos, e tudo o que “construímos, temos e conquistamos” não passarão de coisas vãs e sem utilidade para a nossa eternidade. Precisamos de uma vez por todas entender que é Deus, e não a nossa vontade, a nossa força ou a nossa capacidade que nos dá o pão de cada dia. Ímpios afirmam com frequência a frase “Ai de mim se eu não trabalhar”, e assim o fazem por conta de sua arrogância e presunção, pensando que são capazes de trazer para si o próprio pão.

Por fim, estímulo você, caro leitor, a enxergar o mundo a sua volta através da Palavra de Deus e, depois disso, render glórias ao único e verdadeiro Deus, pois não fosse as suas misericórdias, seríamos somente um monte de pó, amontoado e sem valor nenhum.

Trabalhe para a glória de Deus.
Estude para a glória de Deus.
Coma para a glória de Deus (cf. 1 Coríntios 10.31).
Fazer essas coisas ou qualquer outra e querer para si a glória que somente a Deus pertence é um pensamento que brota em corações não regenerados. Corações transformados clamam a Deus para que Ele receba toda a glória por seus feitos.
Como bem diz a Confissão de Fé Batista de 1689:

Deus, o bom criador de todas as coisas, em seu poder e sabedoria infinitos, mantém, dirige, dispõe de, e governa todas as criaturas e coisas,1 desde as maiores até às mínimas,2 pela sua muito sábia e muito santa providência, para que cumpram com a finalidade para a qual foram criadas.” (Confissão de Fé Batista 1689, Capítulo V, “A Providência Divina” – Ref: [1] Hebreus 1:3; Jó 38:11; Isaías 46:10-11; Salmo 135:6, [2] Mateus 10:29-31).

O sustento vem SEMPRE de Deus, não das mãos do homem!

Texto fonte: Cristão+

Leia também:

0 comentários