30 dias sobre o REINO DE DEUS, a Sua justiça e muito mais... #3

novembro 01, 2017

Jesus pediu para orarmos para o céu vir a Terra. Jesus veio a Terra para restaurar a colônia do céu. Jesus veio a Terra para restaurar o Reino dos Céus na Terra, as leis dos céus, os valores dos céus, a colônia dos céus, a sociedade dos céus, a cultura dos céus na Terra. Essa foi a missão de Jesus.

Jesus não veio a Terra para fundar ou se juntar a uma religião. Ele não era religioso. Adão não perdeu religião, mas governo e Nação. A maior parte das religiões quer fazer de Jesus um Profeta. Mas por que era importante para o povo que Jesus fosse profeta? Porque se Ele fosse Profeta não poderia ser Deus, nem ter um Reino.

Profetas falam para Deus e não tem reino. Jesus deixou claro que não era Profeta e que não falava por Deus. Ele era Deus, Emanuel, Deus conosco. Por que isso é importante? Porque o povo dizia que ele não falava como os profetas, nem como os fariseus, mas como Alguém que tinha autoridade. Ele era Deus. O povo dizia a Jesus que eles eram filhos de Abraão. E Jesus dizia que antes de Abraão ser, Ele era. Pedro disse a Jesus que Ele era o Cristo, o Filho do Deus Ungido, o Messias. E Jesus disse a ele que em Pedro, estabeleceria a Sua Igreja. Jesus Cristo não era um homem religioso.

De fato, a maior oposição dEle era a religião. Sua mensagem não era religiosa. Ele pregava sobre um Reino e não sobre rituais. Um dia convidou todos os homens a entrarem no Seu Reino. Ele convidou a colônia para voltar novamente ao Seu Reino. Essa era a Boa Notícia. Quero fazer uma declaração que deixará você preocupado: pregamos o Evangelho de Jesus Cristo, mas não o Evangelho que Jesus pregou. Se você estudar os quatro Evangelhos, verá que Jesus pregou o Reino de Deus, o Reino dos Céus.

Essa é a pregação do Reino de Deus. As instruções de Jesus são muito simples. Devemos pregar que o Reino de Deus chegou. E o que você está pregando como Cristão?

Continua...

“E, indo, pregai, dizendo: 
É chegado o reino dos céus.” (Mateus 10:7)

Leia também:

0 comentários